quinta-feira, 19 de abril de 2012

Os Elétrons (I)

       A menor manifestação de Vida que pode ser medida dentro de um conceito que o homem possa compreender é o elétron. (*) O Corpo da Divindade é formado por elétrons; estes constituem-se de pura substância de Luz Universal; possuem inteligência e respondem, incontinentes, a uma força geradora, quer seja de um ser divino ou de um ser humano. Estes elétrons formam, em diversificados modelos, os átomos físicos do mundo. O modelo geométrico, a velocidade de sua vibração em volta do núcleo central, etc., determinam os tipos especiais dos átomos. Eles oscilam dentro de frequências distintas; por exemplo: ferro, aço, ouro ou corpo humano.


       (*) "Já há algum tempo que não se define mais o átomo, pura e simplesmente, como sendo a menor partícula da matéria. Com o avanço das pesquisas surgiram definições mais aprofundadas comprovando a existência de partículas ainda menores no próprio átomo em níveis subatômicos. Algumas partículas subatômicas são denominadas férmions, bósons, hádrons, léptons e quarks, e diante de novas descobertas também se incluem neste rol as partículas chamadas de antimatérias do domínio das pesquisas quânticas". (Clique no Título)  NOSSAS VIDAS ATÔMICAS 

       "Acreditamos que a menção de o elétron ser 'a menor partícula de vida que possa ser medida dentro de um conceito que o homem possa compreender', advém do fato de que as partículas subatômicas - agora conhecidas através dos avançados equipamentos de pesquisas da física - por serem energias puras incrivelmente voláteis, deixam somente rastros de suas presenças como provas de existência. Ao passo que o elétron, embora seja um lépton, sabidamente circunvoluciona em torno do núcleo atômico a níveis energéticos já definidos, com carga elétrica negativa, com provável desenho geométrico, repelindo-se em presença de outro elétron, atraindo-se a um proton porque este tem carga elétrica positiva, ou pulando para outra órbita ou nível de outro átomo.

       Esses últimos conceitos, e alguns mais, consagrados pelos mestres acadêmicos, foram básicos durante certo tempo até o surgimento da Física Moderna, com a Mecânica Quântica e suas revelações ultra avançadas. Deste modo, as noções de movimentos de elétrons, ultrapassaram as teorias simplistas e experiências primárias, pois já avançam para situações muito mais imponderáveis, suspeitando-se sempre de novas transformações e alcances, e de surpreendentes fontes de energias por eles produzidas. Com isso, desdobram-se a percepção científica e visualizações de campos magnéticos, de espaço-tempo, de nuvens eletrônicas, de elétrons emitindo fótons em outras frequências de ondas, e de tantas outras perspectivas sobre o crescente número de informações emergentes de novas teses ou descobertas.

       Embora as energias produzidas pelo mundo atômico estejam a ultrapassar os conceitos e visões anteriores da ciência, adentrando para um mundo até há pouco insuspeitado, existem correntes do cientificismo materialista que ainda agem como alguém que já pode andar ereto e ver mais longe, mas que teimosa e infantilmente deseja permanecer engatinhando. Há milênios, a sabedoria oriental fala de Deus como energia pura, e o universo como alma e espírito, ou seja, estas realidades estando acima das considerações do espaço-tempo, e sendo em si mesmas a fonte única da existência material e imaterial da Criação, diferentemente de como a ciência concebe vida e matéria.

       Os mestres da sabedoria sempre souberam da natureza temporal da matéria como energia concentrada, das pulsações do cosmos, das explosões, expansões, retraímentos e desaparecimentos de galáxias e de todo o universo, após bilhões ou trilhões de anos terrestres, e de seus cíclicos ressurgimentos após os períodos de ocaso ou repouso. Sempre conheceram o átomo, a imagem de Deus - que durante milênios permaneceu invísivel aos olhos humanos, guardado da perigosa curiosidade mundana - como também sabiam da composição química dos corpos físicos, e da existência de concentrações energéticas acima do mundo físico, cujo variado teor vibratório, lá, consubstancia formas e manifestações. Porém, o fanatismo cético e a cegueira dos homens de pesquisas, apesar de todas as suas descobertas e das evidências de que a matéria concreta é energia originada por uma Inteligência Maior, conseguem, ainda assim, criar barreiras para o desabrochar definitivo da sabedoria e consequente destruição dos dogmas materialistas criados pela própria ciência, independentemente das religiões.

       A etimologia do vocábulo elétron provêm do grego "elektron", significando "âmbar", pelo curioso fato de que a revelação de um fenômeno de eletricidade transmitida por um determinado elemento, que seria denominado como o próprio elétron, proveio da experiência levada a efeito por Tales de Mileto, em 600 a.C., com uma barra de âmbar.

       Âmbar é uma resina vegetal, sólida, fossilizada em árvores coníferas. As coníferas são assim chamadas pelo fato de seus frutos possuírem formas geométricas lembrando cones, ou agregarem-se em pinhas. Há centenas de espécies coníferas, possivelmente mais de 500. Dentre algumas bastante conhecidas encontramos, as araucárias ou pinheiros, os abetos e cedros, estando dentre os últimos o Cedro-do-Lìbano, conhecido desde tempos da antiga história. O Cedro-do-Líbano já fora usado por Salomão para a construção do Templo descrito na Bíblia, e exala um gostoso aroma. Num passado mais distante, na Índia e Egito, a perfumada resina do Cedro-do-Líbano já era queimada em rituais religiosos para diversas finalidades.

       Para as resenhas históricas acadêmicas, as descobertas que mudariam a posteridade, ocorreram por meras experiências voluntárias, por curiosidades ou obras do acaso. Porém, muitos dos pesquisadores famosos do passado foram iniciados nos mistérios da natureza e sob a condução de seus mestres iniciaram experimentações com o intuito de fazer avançar a ciência. Assim, Tales de Mileto, atritou uma barra de âmbar numa pele animal para 'provar' que o âmbar adquiria a propriedade de atrair pequenos pedaços de palha. Ou seja, formava um campo de atração que se chamaria também elétrico". (Rayom Ra)
          
       A mesma substância da Luz Universal encontra-se em cada forma manifestada; porém, a força geradora da Divindade, a tríplice atividade do Pai-Filho-Espírito Santo é o determinativo para a atividade vibratória do átomo, assim como o é para o modelo geométrico. Por este motivo, cada substância física é uma parte da substância da Luz Universal e Tudo vem a ser o Corpo de Deus.

       Tudo é uma fluente corrente-contínua; está em movimento constante; é extraordinariamente sensível e obediente ante a instrução divina. É evidente que os objetos, por assim dizer-se inanimados, encontram-se em constante movimento, vibrando dentro da pulsação divina. Sendo assim, os discípulos despertos poderão persuadir os elétrons e incentivá-los a um maior aperfeiçoamento.

       O corpo físico é mais obediente e responde mais depressa ao desejo de perfeição do que um objeto supostamente inanimado ou outra substância qualquer, por que a vibração do primeiro é mais alta ou acelerada e ele permanece em constante contato com a força geradora que transpassa seu coração. Em vista disto, é fácil manter a harmonia e beleza da estrutura carnal. Todo homem que se dedica com denodo e sem medir o tempo que passa, pode tornar-se a manifestação do poder da palavra divina, dominando a substância da carne.

       Reflexionai: todo discípulo é um centro divino. A limitada abundância da Luz Universal está à sua disposição e ele pode solicitá-la e usá-la de acordo com sua necessidade ou requisitos especiais da Fraternidade.

       A substância da Luz Universal, provida de inteligência, possui o grande desejo de desenvolver sua própria autoconsciente força criadora. Por essa razão, estas substâncias estão à espera de serem qualificadas e magnetizadas pelas Emanações de Vida, com a beleza e perfeição da consciência ascensionada do Cristo.

       Aqui, benemerentemente, lembramos a importância de tornar-se um hábito abençoar, com simpatia e estima, os objetos supostamente inanimados que servem o homem na sua vida cotidiana. É impossível, para um ser humano que realmente ama e deseja, com sinceridade, realizar no Universo o Plano Divino, conservar-se afastado da abundância de todo o Bem, pois ele próprio se torna um magneto que atrái os elétrons da substância de Luz Universal acumulados por sua Divina Presença.

       Experimentai e convencei-vos, meus abençoados discípulos; ireis vivenciar este ensinamento.

                                               O MODELO ELETRÔNICO
 
       O Grande Obreiro criou, separadamente, em sua multiforme bondade e misericórdia, um modelo eletrônico para cada Emanação de Vida, de modo bem visível, variado e mesmo inconfundível entre outras Emanações, de maneira que todas poderão alegrar-se de sua forma, dentro de uma determinada individualidade e beleza.

       Os elétrons de cada Emanação de Vida, semelhantes a flocos de neve, distinguem-se uns dos outros, dentro de sua estrutura elemental. Cada modelo e cada forma representam a identidade da presença Eu Sou, a qual, através do Santo-Ser-Crístico, manifesta sua plenitude no ser externo, quando os Três se tornam Um único Ser - a Santíssima Trindade.

       Já muitas vezes fostes instruídos; contudo, repetimos: o modelo eletrônico do Mestre Ascensionado Saint Germain representa-se na Cruz de Malta. O modelo eletrônico do Senhor Gautama é representado pela Flor de Lótus desabrochada, e o do Bem-Amado Sanat Kumara é simbolizado pela perfeição da Estrela do Amor e Paz. Isto significa que todos os elétrons que compõem os corpos dos Bem-Amados Sanat Kumara, Saint Germain e Senhor Gautama são inúmeras miríades de reproduções das formas acima citadas, através das quais, transpassa, ininterruptamente, a Luz Divina.

       Toda energia que estes Mestres refletem ou extraem do Corpo de Deus, do informe, é de imediato impregnada com seu modelo, logo que esteja sob seu controle. Onde quer que os elétrons se movimentem no Universo, isto é, para onde são conduzidos por meio do pensamento, sentimento, palavras faladas ou ações, levam consigo o contorno do desenho de seus modelos mui especiais.

       De modo idêntico, toda energia divina aceita, imediatamente, o modelo eletrônico individual atraído do informe pelo discípulo. Se a energia obedece à Lei do Ciclo, ela se expande e retorna, já acumulada com força adicional. E, devido a existência de uma Inteligência seletiva, é possível aos Seres Divinos distinguirem a irradiação dos seres humanos, por assim dizer, selecioná-los.

       A energia em descenso da Divindade Universal - uma atividade espontânea - penetra na consciência externa e permanece franqueada no pensamento, sentimento, palavra falada e ação. O ser-personalidade não vê nem percebe que não possui direitos de propriedade desta energia e é de opinião de que pode usá-la, indiscriminadamente, sem ter de prestar contas do mau uso praticado. Mas cada forma-pensamento e sentimento, cada palavra falada ou escrita, cada ação cometida pelo ser externo traz o sinete daqueles que as atraíram, manipularam e expandiram.

       Toda energia move-se em círculo e retorna à sua origem; além disto traz energia do mesmo quilate. Todos os lugares sobre a Terra onde algumas selecionadas Emanações de Vida procuraram a Presença Divina Eu Sou Universal e alcançaram sua vitória, contêm, ainda hoje, grande porção da essência daquelas Emanações de Vida. Por este motivo, aqueles lugares são muito úteis para a elevação da consciência de todo sincero buscador.

       O local onde o Senhor Gautama recebeu a iluminação está fortemente saturado ou impregnado com a forma espiritual que simboliza a Flor de Lótus Cósmica de Sua Emanação de Vida. E todos que, por ventura, se aproximam daquele local, percebem, nitidamente, um efeito de êxtase proveniente de Sua irradiação em descenso.

       Se um discípulo sincero tomasse por hábito reunir diariamente objetos inanimados em volta de si e usasse o transmutador Fogo Violeta, um dia ficaria mais surpreso ao ver aqueles mesmos objetos, até alguns que ele havia refugado ou desprezado, manifestarem-se por meio da irradiação dos purificados elétrons de sua própria Chama de Vida, em vibrações de impulsos espirituais - isto para o proveito da alma do discípulo, a qual ele nem sequer conhece. Todos os homens deveriam servir, constantemente, dentro de um princípio universal. A vida cotidiana pode fazer de cada um de vós, formas seguras, expoentes de felicidade para enriquecer toda Vida. Alguns discípulos são bastante sensitivos à bênção no reino da natureza e às formas inanimadas; por este motivo, é bom, neste campo, incentivar seus dons.

                           [ Os Elétrons/Santo Aéolo e Maha Chohan - FEEU]

Rayom Ra
[Leia Rayom Ra (Rayom_Ra) on Scribd | Scribd em páginas on line ou em downloads completos ]
[Os textos do Arca de Ouro, por Rayom Ra, podem ser reproduzidos parcial ou totalmente, desde que citadas as origens ]


2 comentários: