terça-feira, 9 de setembro de 2014

Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (VI)


                                                        O CIÚME E O APEGO
                                                           [Arquivo Google]

  Servidores:

  Hoje vos falaremos sobre os sentimentos do Ciúme e do Apego. Vemos nestes sentimentos uma forma egoísta que o homem tem ao querer prender, dominar a outrem, e tudo isso é feito em nome do amor.

  O ciúme e o apego devem ser encarados como uma doença psíquica, um sentimento doentio de posse, disfarçado sob a forma de um excessivo zelo. A pessoa que sofre desses sentimentos, antes de tudo, deve ser olhada como uma doente, alguém que traz em si uma profunda insegurança, sofrendo e fazendo a outros sofrerem por esta instabilidade emocional.

  Todo esse desequilíbrio deve ser visto por vós como uma falha humana, passível, no entanto, de superação, desde que a pessoa doente, ou seja, aquela que sofre do mal do ciúme, esteja imbuída realmente do desejo de autolibertar-se deste mal, pela força de vontade e, livrar-se desta escravidão.

  Alega-se que esse exagerado apego, em nome do amor, manifesta-se quando em determinados momentos se quer proteger o ser amado, porém, servidores, analisai as situações onde fostes protagonistas, ou aquelas em que tivestes oportunidade de presenciar estes desagradáveis momentos. E procurai tirar as vossas conclusões agora com o olhar de um simples espectador destas constrangedoras crises que enevoam o raciocínio de seu portador. Vereis que o grande causador desses infelizes momentos é o sentimento de amor próprio ferido, posse exacerbada e uma grande falta de segurança.

  Não vos deixeis arrastar pelos ciúmes ou apegos excessivos. Deve haver entre os pares um profundo e mútuo respeito; é nesse respeito que se alicerça a confiança. O diálogo entre os pares deve ser franco e aberto, Mas, sobretudo, servidores, lembrai-vos que aquele irmão ou irmã que caminha ao vosso lado é uma individualidade que carrega em si a Chama Sagrada, a Perfeição Divina, mesmo que ainda não esteja em atividade. Esta emanação de vida foi emprestada a vós para caminhardes juntos nesta encarnação, aprendendo lições, crescendo mutuamente e talvez resgatando dividas passadas. Mas como um filho ou filha de Deus, é um ser livre. Cuidai para não contaminardes com o vírus do ciúme a vossa vida e do vosso companheiro ou companheira.

  A vós pais, que em nome de uma pseudoproteção, também agis de forma intransigente e repressiva com vossos filhos, alertamos-vos: procurai sentir, dentro de vós, qual é a real razão desse comportamento. Senti em vossos corações a seguinte realidade: estes seres que trouxestes ao mundo são oportunidades doadas a vós de cumprirdes com a missão de criar, amar, educar, encaminhar, e depois de prontos, deixa-los partir para encontrarem os seus próprios caminhos. Somos favoráveis que se dê aos filhos uma liberdade vigiada e esclarecida, e, portanto, responsável.

  Não vos entristeçais quando chegar a hora de ver o vosso filhote partir; lembrai-vos que já fostes pai ou mãe de tantos outros seres, que passaram por vós na roda das encarnações, e que hoje nem lembrais daqueles rostos. Quando chegar esse momento em vossas vidas, lembrai-vos do vosso eterno companheiro, Aquele que está em vós e no vosso ente querido também. E uni-vos a esta luz dentro de vós e do vosso querido ou querida. Doai amor do vosso coração, e deixai-o partir, sentindo em vosso íntimo que estarão sempre juntos e unidos a esta Luz que habita em ambos. A verdadeira união é feita e sentida no coração.

  Para vós que sofreis do mal do ciúme e quereis realmente vos libertar dele, fazei constantemente a seguinte afirmação:

                                                AFIRMAÇÃO CONTRA O CIÚME

  Estou cada vez mais me desapegando das pessoas e dos objetos; compreendo que eles foram colocados em minha vida para minha própria autosuperação!”.

                  NA PARTIDA DE QUEM COMPARTILHOU DO VOSSO CONVÍVIO

  Não há separação possível, já que todos somos unidos pela Vida que a tudo permeia. Portanto, mesmo separados fisicamente, estamos ligados por esta Fonte de Amor, que é a Vida dentro de nós. Ide em paz! E sede feliz!”.

  Dai a oportunidade ao vosso Mestre Interno de atuar através de vós, e vereis o grande alívio que sentireis em vosso coração. Vede tudo que possuis, e também aos vossos queridos, como empréstimos feitos a vós pelo magnânimo Pai, para vosso crescimento, distração e treino do sentimento equilibrado de possuir sem se deixar possuir.

  Lembrai-vos que o apego familiar é um visgo necessário para que aquelas pessoas fiquem unidas no recesso do lar, purgando e resgatando suas dívidas passadas. Queremos dizer-vos com isso, que estes resgates cármicos podem se dar em um período determinado da vida daqueles indivíduos, e quando isso for resgatado, precisa ele caminhar para cumprir com o restante do seu carma existencial que o levará ao encontro daquelas pessoas que fazem parte deste compromisso passado sem, no entanto, perder o amor pelos seus.

  Todas as vezes que fordes assaltados pelo sentimento de ciúme, não vos deixeis enredar por este mau hábito. Estai sempre vigilantes para não serdes surpreendidos por este hóspede indesejável. Quando perceberdes o prenúncio desta situação, fazei uma caminhada ao ar livre, praticai o exercício da respiração vigiada [ver instrução (II) – “A Importância da Respiração Vigiada”], até que consigais tirar de vossa mente todo o pensamento que vos causou tal sentimento. Despi-vos do amor próprio ferido; na maioria das vezes, este sentimento é uma exaltação da vaidade ególatra que existe nos seres humanos, tirando-lhes a razão e deixando-os cegos para a realidade.

  Finalmente, quando já puderdes pensar no assunto sem que ele vos cause irritação, levai-o ao vosso Mestre Interno, ou seja, colocai em apreciação o caso pela compreensão inspirada que vos dará a Luz da Verdade. Meditai sobre o fato em si, e unido ao Poderoso Eu Sou em vosso coração, analisai toda a situação que foi a causadora do vosso desequilíbrio. Quando sentirdes em vosso íntimo que aquilo que vos magoou já não vos faz vibrar negativamente, é sinal de que já não é mais importante para vós. Então, agora, se quiserdes, podereis conversar sobre o fato com o vosso companheiro ou companheira, sempre vigilantes para não perderdes o vosso autocontrole.

                              APELAI AO VOSSO PODEROSO EU SOU, DIZENDO:

  Ó, Vós Poderoso Eu Sou que habitais em meu coração, apelo a Vós: equilibrai-me e inspirai-me, equilibrai-me e inspirai-me, equilibrai-me e inspirai-me.
  Comandai as minhas palavras.
  Não me deixeis mais agir movido pelo ciúme ou apego.
  Eu vos adoro, Poderoso Eu Sou que habitais em meu coração.
  E vos dou comando sobre minha pequena personalidade.
  Agradeço ao auxílio que recebo de vós através deste apelo.
  Assim Seja!”.

  Se estiverdes sempre vigilantes e ligados à Poderosa Presença Eu Sou, que é a Perfeição Divina dentro de vós, e de todos os homens, conseguireis vencer o mal do ciúme, bem como tudo que vos causa sofrimento e infelicidade. Encontrareis nesta disciplina uma nova alegria de viver, maior segurança, liberdade e êxito em vosso empreendimentos.

  Servidores, podeis estranhar o fato de não termos vos doado um serviço para prestardes a um vosso irmão. No entanto, sugerimos que, se realmente quiserdes prestar auxílio, useis o apelo doado neste trabalho, fazendo apenas as alterações necessárias, isto é, uma mudança dos pronomes.

  Vosso Instrutor,
                                                Djwal Kuhl

Fonte: Exercícios Para Autolibertação - FEEU

Siga os links: Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (I)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (II)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (III)                      
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (IV)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (V) 
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (VI)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (VII)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (VIII)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (IX)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (X)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XI)                       
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XII)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XIII)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XIV)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XV)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XVI)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XVII)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XVIII
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XIX) 
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XX)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXI)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXII)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXIII)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXIV)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXV)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXVI)
                           Instruções Excelsas aos Servidores da Luz - (XXVII)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXVIII)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXIX)
                        

Rayom Ra
[Leia mais Rayom Ra (Rayom_Ra) on Scribd | Scribd em páginas on line ou em downloads completos ]

Nenhum comentário:

Postar um comentário