sexta-feira, 25 de julho de 2014

Máquina Datada em 400 Milhões de Anos Encontrada na Rússia

        O carretel (ou bobina) encravado na rocha pré-histórica: uma visão anacrônica.

  RUSSIA. Em 2009, o LAI (Laboratório de História Alternativa) recebeu uma carta com fotos muito interessantes. O autor das fotografias era Alex Gobulev. Nas imagens, obtidas próximo à aldeia de Serpukhov Sarakseevo, nos arredores de Moscou - aparecia uma pedra de aspecto normal, terreno, que continha, incrustada em seu âmago, um parafuso.

  A pedra, originalmente muito maior, foi extraída para ser fragmentada e usada em construções da aldeia. Um grupo de pesquisa da instituição - privada e independente, uma ONG - o Centro de Pesquisa Internacional de Pesquisa Cósmica da Rússia ou, simplesmente Kosmopoisk (presidido pelo engenheiro aeroespacial Vadim A. Chernobrov) que, na ocasião estava investigando a suposta queda de um meteorito na região,nas proximidades da cidade de Kaluga foi chamada para avaliar a descoberta.

  A primeira avaliação indicava que a rocha era muito antiga e em um dos pedaços, um pequeno objeto. do tamanho de um centímetro era, surpreendentemente - muito semelhante a um parafuso de metal. Em outro, fragmento, havia um carretel (ou bobina).

                                                                  O PARAFUSO

  A pedra com o parafuso e vários outros pedaços daquele mesmo material foram entregues a especialistas de um Instituto Paleontológico. Na análise, dezenas de cientistas de várias áreas analisaram o material. E havia outros objetos estranhos igualmente fossilizados que foram revelados através da exposição ao raio X.

Os detalhes somente aumentam o mistério: o parafuso e o carretel estão claramente depositados ou acondicionados em cavidades vazias e cilíndricas. O processo de fossilização não preencheu o vazio circundante. O espaço que o contém tem uma forma bem delineada e pode-se ver suas extremidade arredondadas.

                                                                  O PARAFUSO

  Os litologistas (estudiosos geólogos especialistas em rochas) determinaram a idade do bloco rochoso original. Entre 300 e 320 milhões de anos. Ao redor do anacrônico parafuso, havia depósitos de outros materiais, igualmente fossilizados que foram identificados como restos de organismos marinhos pertencentes a um período geológico extremamente recuado: são crinóides ou, os chamados Lírios do Mar. Esse fato reforça e confirma a datação. O achado tornou-se, então, algo de inexplicável.

  Os crinóides são equinodermos e não são semoventes (ou seja - não se locomovem por meios próprios, mas, quando não se fixaram uma base, seguem o movimento das águas sendo levados pelas correntes). Se encontram um "porto", seus corpos aderem a uma base fixa, geralmente rochosa ou mesmo madeira, como os cascos de navios.

  Os crinóides têm seus tecidos moles sustentados uma estrutura interior rígida, feita de carbonato de cálcio: um endoesqueleto. No processo de fossilização esses tecidos moles decompõem-se restando apenas o material sólido que, frequentemente, se parecem com objetos artificiais, como engrenagens de uma máquina. Isso explicaria como os artefatos ficaram isolados em cápsulas: porque, durante certo tempo foram protegidos pela matéria orgânica do crinóides.

  Porém, o parafuso e o carretel encravados na rocha, isolados em suas cápsulas, não poderiam ser confundidos com os fósseis dos organismos em virtude de sua anatomia muito bem definida. Esta, em nada se parece com com os crinóides.

                                         INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES

  KOSMOPOISK - Общеросси́йская нау́чно-иссле́довательская обще́ственная организа́ция «Космопо́иск» [http://en.wikipedia.org/wiki/Kosmopoisk]

   CRINOID - [http://en.wikipedia.org/wiki/Crinoid]
 
 PALAVRAS CHAVE DA PESQUISA -  (in russian): Калуга винт окаменелые (translating/english: Kaluga screw fossilized) - (translating spanish: Kaluaga, tornillo, fosilizado).

  MECANISMO DE BUSCA UTILIZADO - Google [www.google.com.br]

  A origem dessa notícia foi uma pesquisa em um website em lígua espanhola (veja em Fontes). Porém, este editor achou pouco e caçou o original que, segundo o editor do blog espanhol seria ama revista russa chamada Ogonek, cuja URL precisa o website espanhol, não divulgou (mas deveria ter divulgado, hell...). Essa fonte não foi encontrada. Encontramos uma OGONEK.NET, em alemão, inglês e polonês [http://www.ogonek.net/].

  A pesquisa avançada neste website [http://www.ogonek.net/], usando as palavras chave que indicamos acima, mas em alemão, inglês e polonês, não resultou em referência alguma. Então, usamos as palavras chave em russo e encontramos a notícia (na fonte indicada abaixo). Ali havia várias ilustrações e ao menos uma contradição com o quê foi publicado em espanhol. O website ENIGMAS Y MISTÉRIOS informa que a descoberta deu-se em 1996. Mas o website russo, menciona claramente 2009.
  
  As fotos no site russo. Em outro site russo eu até entro mas naquele... este editor... Oxxxxxxxx, eu não volto mais lá não.

  Para saber a data correta buscamos uma referência na página do grupo de pesquisa Kosmopoisk, em inglês e russo, na Wikipedia. Nestas fontes, encontramos o registro de uma série de expedições realizadas em outubro de 1996 em Kaluga (no subtítulo Korenevo).

  Naquele ano, equipe do Kosmopoisk estava nessa região - Kaluga - para investigar o que teria sido a queda de um meteorito e coincidiu, segundo o website russo, que a rocha contendo o anacrônicos objetos foi encontrada na ocasião de uma dessas expedições. Assim, o grupo teria sido convocado para investigar os fatos e recolher as amostras que, mais tarde, foram analisadas.

  A editoria do Sofä da Sala Notícias quer deixar claro que, com esse tipo de jornalismo sem critério de exatidão da informação, que não divulga suas fontes (caso do website espanhol), fica difícil compartilhar, de fato - o conhecimento. Consideramos esse tipo de omissão um amadorismo impensável para um jornalista profissional.

  Mas publicamos aqui a notícia, com o máximo de detalhes obtidos porque, sem dúvida, trata-se de uma peça não desprezível para uma coleção de eventos forteanos. Ou seja, Charles Fort, inspirador deste site e do gênero jornalístico que hoje é conhecido por jornalismo forteano, uma das propostas explícitas deste BLOG, porque, com seu trabalho, inspirou o crescimento de um gênero de literatura ainda mais amplo, o Realismo Fantástico, enfim - Charles Fort teria recortado a página do jornal e guardado em seus arquivos. Assim o fizemos.

  Lembramos, ainda, que essa notícia tem uma evidente conexão com outra matéria, aqui publicada: Máquina datada em 400 milhões de anos encontrada na Rússia. Também publicada na versão em inglês deste BLOG - o BRAZIL WEIRD NEWS (BWN) - e não só causou muita polêmica e mas também o escárnio de outras editorias e leitores de língua inglesa para com o BWN BLOG: Machine dated at 400 million years found in Russia [http://brazilweirdnews.blogspot.com.br/2012/03/machine-dated-at-400-million-years.html].

  A origem, um website italiano que também omitiu sua fonte mas mencionou o mesmo cientista, citado no início desta matéria - Alex Gobulev como a pessoa que teria feito os primeiros registros do achado.

  Finalmente, advertimos que ao entrar na página do website russo, nossa máquina desconectou-se imediatamente da internet. Maldição, coincidência ou página contaminada? Não sabemos. Mas fica aqui o registro do fato. Salvamos o texto em russo e capturamos as imagens através de uma ferramenta, sem download. Este editor tem muito apreço por seu PC, por isso, hesito (não vou mesmo!) em entrar lá de novo. Esse negócio de page russa que desconecta a rede é muito desagradável...

por Lygia Cabus

Fonte:http://sofadasala-noticias.blogspot.com.br/2012/03/maquina-datada-em-400-milhoes-de-anos.html

Rayom Ra 
[Leia mais Rayom Ra (Rayom_Ra) on Scribd | Scribd em páginas on line ou em downloads completos ]

2 comentários:

  1. http://www.e-farsas.com/parafuso-de-300-milhoes-de-anos-encontrado-na-russia.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nada que eu já não tenha visto sr. anônimo. E nada que me surpreenda. Como sempre os desmentidos são intensos quando se tratam de mostrar uma realidade que mude a história.

      Mas há outros fatos inegáveis que a partir de outros achados arqueológicos de milhares ou até milhões de anos comprovam que nossa história oficial está completamente mexida e reinventada no que realmente sejam muitas das verdades fundamentais. É só pesquisar com interesse e sem aquele pré julgamento característico dos céticos materialistas que muitas provas ancestrais aparecerão de modo inegável.

      Porém, é pedir demais para a categoria cética blindada, não é?

      Excluir