domingo, 23 de novembro de 2014

Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXXII)



                                                CONSIDERAÇÕES FINAIS
Mesterhierarkiet-03-Åndsvidenskab-Esoterisk-livssyn
   Servidores:

  Estamos finalizando uma série de trabalhos com a intenção de dar ao homem a oportunidade e o incentivo de investir em sua auto-realização. Entre todas as práticas sugeridas, deveis estar atentos para sentirdes aquela que melhor responda aos vossos anseios.

  Ao começarmos pelos exercícios de auto-purificação, quisemos mostrar-vos que mesmo aquele que chafurdou em erros, é merecedor de atenção e Misericórdia Divina. Sendo um filho de Deus afastado do caminho, ele é amado, e a sua volta é comemorada com júbilo por todos Nós da hierarquia Divina.

  Aquele que exercita a sua vontade e a usa para a sua auto-purificação, sente-se muito mais fortalecido em seus propósitos futuros. E isso é muito mais percebido por todos aqueles que investiram os seus esforços para alcançarem a auto-realização, que é a meta de todos os homens, embora a maioria desconheça essa verdade.

  Grande parte dos homens encarnados considera como realização atingirem um elevado posto na sua vida profissional, trocarem de carro todo o ano, possuírem uma elevada conta bancária, casas, amigos e fazerem viagens; enfim, tudo aquilo que materialmente possa trazer satisfação e conforto para si e os seus.

  Não negamos que isto seja uma realização e que possa vos proporcionar uma ligeira satisfação pessoal, graças à tranquilidade material que ela vos proporciona. Mas, asseguramos-vos que chega, na vida de todo o homem, um momento em que sente um terrível enfado e vazio, independente de tudo aquilo que conquistou como realização máxima em sua existência.

  Não penseis vós que só os menos favorecidos pela sorte passam por semelhantes crises em suas vidas. Os mais abastados também têm esses momentos. É nesse exato instante que o homem deve parar, e com espírito inquiridor, investigar no fundo do seu coração o que está faltando em sua existência, para proporcionar-lhe a verdadeira alegria de um homem realizado.

  Se vós sois privilegiados pela sorte, e ainda assim existe uma crescente insatisfação em vosso íntimo, fazei essa investigação. Não vos atordoeis com novos e mirabolantes planos de trabalho, viagens ou festas; nada disso vos trará a certeza da resposta que tanto necessitais. No vosso silêncio interior está a resposta ansiada, e se sentirdes o Chamado em vosso íntimo, persegui-o com tenacidade até encontrá-lo. Garantimos-vos que mesmo que a resposta demore, ou mesmo que não venha nesta vida, ireis sentir-vos muito melhor intimamente. E sabereis que estais investindo naquilo que é a verdadeira realização do homem, ou seja, o Encontro e a Religação com o Eu Sou, a Presença de Deus dentro de todos e de tudo.

  Este é o segredo para a verdadeira felicidade. Alguém já disse: Pode haver a felicidade na adversidade. Nós vos asseguramos a autenticidade dessas palavras. Pode haver felicidade interior, não importando o que o homem possa estar passando naquele momento. Mas, servidores, isso só é possível realmente no homem que investiu, trabalhou e finalmente atingiu a União com seu Ser Maior, a Poderosa Presença Eu Sou, presente em todos os homens e pronta para ser o grande Consolador na vida dos que fizeram o esforço para chegarem a Ela.

  Quanto aos trabalhos que vos doamos, servidores, sabemos que podeis questionar:

  “Qual dos dois é o mais importante e a qual deles deve ser dada maior atenção: o serviço ritualístico ou o serviço de meditação?”

  Servidores, temos a dizer que os dois serviços são importantes e de grande valor. Os dois merecem a vossa atenção, dedicação e amor. Ao doarmos os dois tipos de trabalhos, quisemos vos oferece a oportunidade de realizardes um serviço agradecido, incrementando a Chama do Amor e do Servir em vossos corações, e paralelamente um serviço de auto-realização.

  O homem ocidental tem características bem diversas do oriental, e só um trabalho introspectivo não lhe basta. A necessidade de participar de maneira mais concreta é oferecida a esse homem ocidental na forma de rituais, onde ele participa diretamente, doando a sua energia ao proferir um apelo ou invocação. Porém, esse mesmo homem que tem um papel importante dentro dos rituais, necessita acrescentar a esse exercício de auxílio à humanidade, um trabalho que lhe proporcione um desenvolvimento gradativo que venha culminar na sua auto-realização. Podeis considerar os dois serviços como peças importantes na construção de um mundo melhor para todos vós.

  E quando tivermos um considerável número de servidores auto-realizados, eles serão os trabalhadores eficientes levando o auxílio prestimoso dos serviços ritualísticos através da Luz que se irradia de seus corações. Essa é a forma correta de trabalho que a Loja Branca almeja há eons para os seus discípulos.

  Portanto, servidores, fazei uso dos dois serviços, porque, embora distintos entre si, eles se completam de maneira perfeita e harmoniosa. Podemos vos dizer que ambos fazem um casamento perfeito.

  O Nosso desejo é de todos os Nossos irmãos mais velhos da raça, é de que todos os homens, sem exceção, alcancem a Luz da Perfeição, e que dessa forma a Terra possa realmente ser: “A Estrela da Liberdade”.

  Ao doarmos esse trabalho aos homens, moveu-Nos o desejo de mostrar a todos, que podem, se assim deliberarem em seus íntimos, chegar em vida àquele estado de Sabedoria e Bem-Aventurança, sem, no entanto, deixarem de ser homens que cumprem com os seus destinos e obrigações na vida. É o Caminho do Equilíbrio, preconizado pelo Bem-Amado Senhor Gautama.

 Servidores, essas são as Minhas Palavras, invisto-as com a Luz da Poderosa Presença Eu Sou em Meu coração e com o magnetismo de Meu corpo mental.

 Almejando que todos cheguem ao estado de Sat-Chit-Ananda, tão necessário nos tempos atuais, como o foi no passado.

  Vosso Instrutor,
                                                 Djwal Kuhl

 Fonte: Exercícios Para a Autolibertação – FEEU

Siga os Links:Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (I)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (II)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (III)                      
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (IV)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (V) 
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (VI)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (VII)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (VIII)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (IX)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (X)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XI)                       
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XII)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XIII)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XIV)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XV)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XVI)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XVII)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XVIII
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XIX) 
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XX)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXI)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXII)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXIII)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXIV)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXV)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXVI)
                           Instruções Excelsas aos Servidores da Luz - (XXVII)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXVIII)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXIX)
Rayom Ra

[Leia Rayom Ra (Rayom_Ra) on Scribd | Scribd em páginas on line ou em downloads completos ]

Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXXI)


                                              A ESCRAVIDÃO PELOS VÍCIOS

                                     ESCLARECIMENTOS À LUZ  DA VERDADE

  [Aditamento ao Primeiro Ciclo de “Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz”, só abrangente aos temas dos Vícios, Hábitos Destrutivos e Autodestrutivos do Ser Humano]

   Discípulos Servidores:

   Todo o ser criado por Deus-Pai-Mãe traz em si a Centelha Divina que lhe foi doada no momento de sua criação como individualidade.

  Embora a Divindade presente em todo ser humano, filho de Deus, traga em Si a Perfeição, Ela permanece potencialmente na personalidade, necessitando da vontade daquele em quem habita, para atuar de forma receptiva aos padrões éticos divinos, a fim de que Ela possa deixar transbordar, através dessa personalidade humana, toda a Sua exuberante grandeza de Sabedoria Iluminada, Perfeição e Bem-Aventurança.

  Mas, como todos vós sabeis, existe a Lei do Livre-Arbítrio, e essa é direito doado por Deus-Pai-Mãe a Seus filhos, como premissa básica na escalada evolutiva desses. A Lei do Livre-Arbítrio gera outra também infalível, que é a Lei da Causa e Efeito. E, dessa forma, vai o homem de, experiências em experiências, aprendendo as suas lições. Às vezes, leva-se uma encarnação, ou seja, um período no corpo físico, assumindo-se carma para, em outra vinda, já em outro corpo, receber-se o retorno de todos os males ou delitos praticados.

  Muitos homens menos esclarecidos argumentam que essa experiência em uma nova encarnação não é válida, já que aquela emanação de vida passou pelo véu do esquecimento ao nascer novamente. Asseguro-vos que o Ser Espiritual, que é realmente a mesma Consciência em um novo corpo, tem no Seu arquivo as lembranças de todos os fatos ligados àquela alma.

  Repetimos, discípulos servidores, todas as lembranças, os bons e os maus atos praticados, estão ali. E, assim, e no momento certo, começarão a aflorar e a acontecer na vida desse homem fatos que o forçarão a vivenciar as experiências que, em outros tempos, impingiu a outrem vivê-las. Essa Lei existe, é inexorável e implacável. Em cada nova encarnação, correrá o ser humano o risco de assumir novos carmas, e, consequentemente, novos resgates.

  O homem, em sua longa peregrinação pela roda do carma, adquire maus hábitos que se instalam em seus corpos mais sutis. Para expurgá-los de sua existência, necessita ele passar por uma mudança de consciência radical, alicerçada por um trabalho de supremo esforço e vontade férrea. Isso porque o problema dos maus hábitos, e aqui estamos falando em particular dos vícios, sejam eles de que espécie forem, é muito mais complexo do que possais imaginar.

  Com já colocamos, esses problemas são quase sempre sequelas deixadas arquivadas em seus corpos etérico e mental superior ou causal. É que se não forem consideradas e levadas a sério, por um tratamento psicofísico, respaldadas pelos ensinamentos esotéricos contidos nas lições que os Grandes Seres doaram à humanidade, mais cedo ou mais tarde virão à tona. Isso, porque, discípulos, esses miasmas que acompanham aquela emanação de vida estão apenas contidos, e um dia, por qualquer motivo que levem essa personalidade a abrir uma brecha, podem explodir com todas as suas potencialidades, causando a essa criatura, e, principalmente à Divindade que nela habita um grande transtorno, sofrimento e atraso na escalada evolutiva dessa alma.

  De acordo com a Lei do Carma, as pessoas são atraídas a determinadas famílias onde possam, nos redutos desses lares, vivenciar suas lições e propiciar também aos seus a oportunidade do exercício do aprendizado da tolerância, serviço e amor.

  Entre as milhares de almas que estão predispostas a uma nova encarnação através de um casal, por determinação cármica ou por afinidades, apenas uma delas, na maioria das vezes, deverá ser atraída por sua maior sintonia vibratória [com o casal] no momento em que se dá a fecundação. Isso acontece graças ao magnetismo da força vital que emana daquela união, e também à empatia natural exercida junto àquela alma por aquele pequeno espermatozoide que conseguiu chegar ao óvulo. Deve-se isso ao fato dele possuir em seus cromossomos a carga energética com suas características dominantes que darão àquele ser humano as condições propícias de, no futuro, viver a sua história. No caso da gestação de gêmeos, o processo é o mesmo, sendo atraídas duas ou mais almas simultaneamente.

  Logo após a concepção, a alma é atraída para o corpo etérico da futura mãe, e juntamente com essa consciência, uma projeção da Centelha Divina também é dispensada para acompanhar aquela nova vida na Terra. Para que isso possa se tornar realidade, poucas horas depois da concepção, o corpo etérico da futura criança já está totalmente delineado, e é nesse corpo energético que esta Centelha ficará alojada até que o coração físico esteja formado.

  No exato momento em que se dá o primeiro pulsar, o átomo vital, ou seja, a Centelha Divina transfere-se do órgão etérico para o órgão físico, alojando-se no ventrículo esquerdo e dando início à atividade do pequeno coração. Este pequenino, mas potente dínamo, é que vai impulsionar essa vida até o final de seus dias na Terra. É ali, naquele pequeno órgão, que está contida a Perfeição de Deus Pai-Criador, escondida e nem sempre apercebida, abafada pela enganosa personalidade humana.

  A energia doada pela mãe durante o período de gestação é utilizada pelo átomo vital na formação do novo corpo.

  Vamos levantar aqui um tema de grande curiosidade para alguns discípulos e aspirantes também. “Crianças que nascem sem nenhuma condição de desenvolverem as potencialidades normais dos seres humanos, aquelas que trazem todos os sentidos atrofiados e por isso vivem uma vida vegetativa, causando uma grande dor aos progenitores e demais familiares”. Completando o raciocínio, foi-Nos colocada a seguinte inquirição:

  - Essas almas crianças não estariam, através dessa encarnação, sofrendo um grande atraso nas suas evoluções, já que não possuem as condições favoráveis para que a perfeição possa se manifestar através de seus corpos?

  Respondemos-vos, servidores:

  O vosso raciocínio é puramente humano, já que naquele corpo existe uma Presença Divina, e a Luz do Poderoso Eu Sou está ali imanente naquele coração. Mesmo que esse Ser não vibre através daquela personalidade é fácil imaginar que a sua consciência, no momento em que compareceu ao Átrio do Carma, diante da profunda análise que ela mesma fez das faltas cometidas em vida pregressa, tenha optando por uma encarnação em um corpo atrofiado para melhor disciplinar seu elétron, companheiro desde a primeira encarnação. Isso porque, discípulos servidores, quando acontecem várias encarnações seguidas com o acúmulo de faltas graves, o elétron sofre intensa deformação.

  Conforme já colocamos em diversos trabalhos, existe uma grande carência de palavras que possam oferecer aos estudantes esotéricos a exata compreensão daquilo que realmente desejamos exprimir. Acontece, servidores, que conceitos abstratos, principalmente em temas filosóficos e espiritualistas, embora presentes na mente superior, no momento de serem passados para o intelecto, ficam empobrecidos na sua idéia original; isso pela falta de palavras que possam exprimi-los de forma exata.

  Por exemplo, quando Nos referimos ao elétron, aquele companheiro desde a primeira encarnação da alma ou individualidade em um corpo físico, logicamente não estamos nos reportando ao elétron compreendido dentro do estudo da física. Estamos sim, Nos referindo ao átomo permanente e que exerce importante papel em toda a escalada evolutiva humana.

  A razão de usar-se a primeira denominação é para facultar àqueles estudiosos e aspirantes ao caminho e que têm algum conhecimento da ciência da física, um pálido vislumbre da forma materializada desse átomo permanente. Esse átomo permanente ou elétron é o gerador da energia espiritual que alimenta os corpos mais sutis enclausurados na gaiola dos ossos, músculos e carne. Através da individualidade, ele pode se tornar cada vez mais lucígeno ou enfraquecer-se, dependendo das ações do homem onde essa Fonte energética atua. Dizemos-vos, discípulos servidores, que o átomo permanente é o conhecido anjo-da-guarda reverenciado pelos católicos.

  - Qual a consequência dessas deformações fixadas no elétron, na formação do corpo humano?

  Respondemos-vos sem nenhum receio de estar vos trazendo pânico, já que chegou a hora de levantar os véus:

  No corpo do homem, as degenerações mentais, quer por atrofias ou por deformações, são as grandes causadoras dos insanos e monstruosos crimes elaborados com requintes por mentes fortalecidas, mas niveladas para o negativo. Tanto hoje como no passado, encontrais em vossos noticiários os fatos monstruosos que enchem os corações de indignação e sentimentos diversos.

  Claro está que ainda existem as heranças genéticas, mas essas, na sua maioria, são apenas as consequências da força de atração que impele as almas para aqueles pais que poderão lhes ajudar no cumprimento da Lei de Causa e Efeito, além da oportunidade de poderem resgatar algumas contas em atraso.

  “Como pode o homem escapar desta roda cármica?”

  Esta é uma das frequentes perguntas que Nos chegam. Respondemos-vos:

  - Procurando não criar mais carmas, pela Vontade, através de um trabalho disciplinador em todos os vossos baixos impulsos. Como podeis fazer isso, discípulos? Trabalhando periodicamente convosco mesmos, analisando os vossos atos, e, principalmente, voltando a vossa atenção para o Ser espiritual que vos dará condições de uma vida reta e harmoniosa.

  A purificação do corpo é um precioso auxiliar no exercício da vontade, e deve ser o primeiro passo a dar-se, quando realmente se deseja fugir da média comum humana, e quando não se quer mais acumular carmas e consequentes resgates.

  Isso exige do homem comum, bem como do aspirante e do discípulo, um profundo sentimento de coragem, muita fé nos ensinamentos dos Grandes Seres, e uma forte personalidade.

  Pela purificação do corpo físico começa o treino sistemático da vontade. Sem essa virtude alicerçada em bases sólidas, não conseguirá, este filho de Deus na Terra, chegar ao primeiro degrau no Caminho do Discipulado.

  Deveis estar com a seguinte inquirição por fazer:

  “É possível, na vida atual, ao homem comum fazer esse trabalho de purificação?”

  Discípulos Servidores, mais uma vez respondemos-vos que sim, é possível, se ele realmente estiver seguro no âmbito de que essa é a senda que lhe trará a real felicidade. Longe vai o tempo em que era recomendado ao neófito o profundo isolamento, que tirava dos seus olhos tudo aquilo que poderia causar-lhe o afastamento do Caminho Espiritual. Essa disciplina, se para alguns foi perfeita, para outras emanações de vida foi desastrosa. Trouxe, em muitos casos, sentimentos de orgulho, hipocrisia, e para outros, perturbações mentais.

  Revendo todo o quadro passado, sentimos que a grande lição está no Caminho do Meio, ensinado pelo Senhor Gautama, que deixou para toda a humanidade, como exemplo, a Sua vida. Na vida dos grandes centros urbanos, está configurada toda a resistência necessária para o legítimo filho de Deus construir com fibra a sua couraça interior. Procurai viver e construir a vossa história com discernimento, pureza e alegria.

  É claro que, às vezes, um período de isolamento torna-se necessário ao homem, em particular aos aspirantes ao Caminho. Isso é aconselhável para afrouxar as tensões, procurar ficar meio ligado e com a atenção voltada para o seu interior, ou seja, consigo mesmo. Mas se adquirires o hábito de levar constantemente a vossa atenção para a Presença Crística dentro de vós, ficareis tão treinados que esse ato passará a fazer parte de vós, e em qualquer lugar onde estiverdes Ela falará convosco, através da vossa atenção e profunda intuição inspirada.

  Toda esta explicação sobre a Lei do Livre Arbítrio e a Lei de Causa e Efeito, discípulos servidores, é para podermos chegar ao tema dos vícios.

  Os vícios, quando adquiridos e não extirpados durante a peregrinação do homem na Terra, são levados em sua bagagem de experiências para o plano espiritual. Ficam arquivados em seu corpo mental enegrecendo o corpo causal, onde a Divina Presença, que é toda perfeição, está ancorada e, dessa maneira, essa Presença Divina fica impossibilitada de atuar, ou seja, manifestar-se através daquela individualidade.

  Se cada encarnação é uma nova oportunidade que o homem tem de se reabilitar diante de sua Presença Divina, do seu Mestre Interno, e da humanidade da qual faz parte, também corre o risco de assumir novas dívidas. Portanto, não vos iludais imaginando que no futuro tereis melhores oportunidades. Começai o vosso trabalho agora!

  Porém, aquele que se tornou um escravo dos vícios e que os traz arraigados em seu íntimo, precisa encontrar o auxílio conveniente para o seu caso em particular. Mas, asseveramos-vos, aquele filho ou filha de Deus que sentir dentro de si o desejo de mudar, irá encontrar forças superiores dentro de seu Ser para fazer o supremo esforço, e garantimos-vos que, para esses, o sabor da vitória os fará crescer em níveis mentais e espirituais. Isso porque a Força Divina, a Vontade Divina foram impulsionadas nessa encarnação de vida, através de sua vontade humana.

  Podeis argumentar que por trás de vários escravos dos vícios ou dependências, existem problemas sociais de difíceis soluções, bem como intrincados problemas no seio familiar. È verdade, discípulos servidores, mas, como já colocamos, aqueles reincidentes na roda cármica são sempre atraídos para as situações e lugares que lhes facultem vivenciar aquelas experiências que em seu corpo mental ainda estão presentes e latentes, em ambientes que ainda lhes deem também condições de resistência e oportunidades de cura.

  Podeis ainda estar curiosos para formular a seguinte pergunta:

  “Por que em uma nova encarnação com melhores oportunidades ainda esses homens não se libertam desses transtornos que são os maus hábitos e os vícios?”

  Respondemos-vos, servidores, que essas almas ainda não sentiram dentro de si, realmente, o desejo de se libertarem. Conforme já sabeis, o homem somente se reabilitará diante de si mesmo quando ele se voltar inteiramente para o Trabalho de autolibertação, feito espontaneamente e com vontade férrea de sair vitorioso dessa batalha que terá de travar consigo mesmo, fazendo com que o eu-personalidade renda-se totalmente ao Eu maior, que é a Presença do Mestre Interno nesse homem. Sabemos que é difícil esse trabalho de auto-superação pela força de vontade, mas, o doamos para todos vós que quiserdes ainda fazer o esforço.

  Não somos juízes – também já vos dissemos – vemos todos esses casos como uma grande rede de ilusão, e, nessa rede, presos e emaranhados os Nossos irmãos menores. Mas, sabemos e acreditamos que no homem está a Força Divina, e que, mais cedo ou mais tarde, todos, um por um, irão se libertar dessa trama sinistra de Maya.

  Frisamos aqui que é de primordial importância para o bom resultado dos filhos dependentes ou escravos dos vícios, o amor e o apoio familiar, incentivando-os nos momentos de fraqueza, desânimo e recaídas.

  Vosso Instrutor,
                                                 Djwal Kuhl

 Fonte: Exercícios Para a Autolibertação – FEEU

Siga os Links:Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (I)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (II)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (III)                      
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (IV)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (V) 
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (VI)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (VII)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (VIII)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (IX)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (X)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XI)                       
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XII)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XIII)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XIV)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XV)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XVI)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XVII)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XVIII
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XIX) 
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XX)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXI)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXII)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXIII)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXIV)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXV)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXVI)
                           Instruções Excelsas aos Servidores da Luz - (XXVII)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXVIII)
                           Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXIX)
Rayom Ra

[Leia Rayom Ra (Rayom_Ra) on Scribd | Scribd em páginas on line ou em downloads completos ]