domingo, 19 de outubro de 2014

Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXII)



                                       O VALOR DA ALIMENTAÇÃO NATURAL

  Servidores,

  Neste Nosso trabalho sobre exercícios de autopurificação e auto-realização, não podemos deixar de chamar as vossas atenções para o valor de uma alimentação natural e, portanto, muito mais saudável para o corpo físico e o corpo espiritual.

  Sendo este um tema já por demais conhecido por todos vós não Nos alongaremos nele. No entanto, achamos que vale a pena ressaltar alguns itens já conhecidos de todos vós, mas que sentimos a necessidade de frisar mais uma vez. Isso para os vossos estudos e uma maior reflexão.

  Por que ressaltamos a necessidade do homem ter por base uma alimentação natural? Esta é uma pergunta que os não simpatizantes de práticas meditativas sempre colocam.
  Dizemos-vos, servidores, que para o homem comum, acostumado a um regime alimentar mal estruturado, onde as proteínas de origem animal compõem o seu cardápio diariamente, é muito difícil aceitar um regime naturalista sem fazer restrições. A maior delas é a queixa de que se sentem enfraquecidos quando ficam dois ou três dias sem ingerir carne. Sabemos que essa reclamação é verdadeira, mas sabemos também que tudo isso é uma idéia errada sobre a alimentação que ingerem. E, portanto, essa fraqueza sentida é um produto da mente que sugere a lembrança, naquela emanação de vida, de que, sem a alimentação a que está acostumado, corre o risco de enfraquecer a tal ponto que possa levá-lo a contrair uma doença séria. No entanto, todos Nós sabemos que, ao ser ingerida, a proteína animal demora de três a quatro dias para ser totalmente assimilada pelo organismo, o que Nos leva a considerar como produto da mente a fraqueza sentida nesse curto espaço de tempo.

  Para os filhos da Luz que realmente desejam obter maior compreensão, e ao mesmo tempo auxiliar a sua aceleração evolutiva, que certamente culminará com a resposta vinda da Poderosa Presença Eu Sou em seus corações, é muito importante a observância de um regime alimentar correto.
  Todos vós sabeis que o animal, apesar de irracional, se apercebe do perigo na hora em que é levado ao abatedouro, e esse apercebimento causa-lhe medo. Tal sensação, nesse momento, aumenta em grandes proporções a taxa de adrenalina no animal, que se espalha na sua corrente sanguínea. Como o animal é morto imediatamente após ter essa descarga, é lógico que essa carne fica injetada por essa substância.

  É esta uma das razões pela qual somos favoráveis a um regime alimentar natural. Ainda podemos levar em consideração a necessidade da não agressão a qualquer forma de vida como um fator de suprema importância para aquele que procura ter o encontro com o Doador de Vida, presente em seu coração e em todas as formas vidas. Poderíamos ainda tecer outras considerações sobre o valor de um regime natural e bem balanceado, mas vamos deixar que essas fiquem ao vosso critério de estudo e pesquisa.

  Sabemos que existem dificuldades para se fazer uma mudança radical na alimentação, por vários fatores, que em nossos estudos qualificamos como empecilhos e causas de esmorecimentos para aqueles que tencionam aderir a um novo regime alimentar. Esses fatores são os seguintes a Nosso ver: o novo regime alimentar que gera problemas domésticos; a família que geralmente assume um papel antagônico quando um de seus membros adere a um novo regime alimentar que foge aos padrões aceitos dentro do quadro familiar, e ainda existe o fator econômico e o maior tempo necessário para o seu preparo.

  Temos a dizer-vos, discípulos servidores, que não queremos que façais sacrifícios que acabarão por esmorecer a vossa vontade e tenderão, infalivelmente, por afastar-vos dos vossos nobres propósitos. Se ainda não sois um adepto da alimentação natural, ide devagar. Começai por diminuir em vosso cardápio a proteína animal. Primeiro, abstende-vos dela uma vez por semana; depois, ide retirando-a e substituindo-a gradativamente por outras proteínas de origem vegetal, até que a primeira não faça mais parte de vossa alimentação.

  Podeis, também, no princípio de vosso regime, substituir a carne vermelha e não congestionada por descargas de hormônios de nenhuma espécie. No entanto, no futuro, temos certeza, ireis aos poucos a eliminando também do vosso regime alimentar.

  Mas atentai para o seguinte fato: essa mudança deve ser feita sem causar-vos sofrimentos de nenhuma espécie. É necessário que aprendais a agir com equilíbrio. Se sentirdes no princípio do vosso novo regime a necessidade de ingerir a proteína animal, procurai resistir o mais que puderdes. Porém, se o apelo for maior do que a vossa resistência, dai ao vosso organismo aquela proteína solicitada, e ele silenciará, dando-vos a oportunidade de retomardes, a seguir, a vossa meta novamente. Todavia, procurai educar a vossa mente para não terdes que ceder sempre.

  A importância do regime natural, na vida do homem espiritualista, é a de proporcionar-lhe um corpo mais saudável e, principalmente, mais leve para os exercícios a que se propõe fazer. Um homem super-alimentado, com o organismo encharcado com proteína animal, jamais conseguirá acalmar o corpo e disciplinar a mente para o trabalho de meditação.

  Para aqueles servidores que já de há muito aderiram a um regime natural, salientamos a importância do jejum como uma forma perfeita de purificação orgânica e autocontrole. Ressaltamos, no entanto, mais uma vez, que ele deve ser feito com uma grande cautela, para não causar prejuízos àqueles que o praticarem. Podeis fazê-lo uma vez por semana ou uma vez por mês, isso fica a vosso critério. Ou, então, sempre que sentirdes a necessidade de propiciar ao vosso organismo um descanso.

  O jejum pode ser total, sem a ingestão de nenhum alimento pelo espaço de doze a vinte e quatro horas, de acordo com a tolerância de cada um. Tempos maiores somente devem ser praticados sob a observação rigorosa de profissionais versados em orientação alimentar e com a assistência do clínico. O jejum pode também ser com a ingestão de frutas; esse é um exercício eficaz para a vossa vida espiritual, já que as frutas são as vitaminas para o vosso corpo etérico, fortalecedores da parte espiritual que existe em todos vós.

  Praticai com atenção a qualquer um dos regimes que escolherdes como o melhor para a vossa saúde. No entanto, mesmo no regime alimentar natural há de se ter moderação. Quantidade não é qualidade, e torno-vos a repetir, encarecendo a necessidade de aprenderdes a balancear a vossa alimentação de forma adequada.

  As verduras, os legumes, os frutos, os cereais e os feijões são as melhores opções para a vossa alimentação. Como fontes de proteína animal de grande valor, temos o leite e seus derivados. Os ovos de granja são recomendados como um excelente restaurador dos glóbulos vermelhos na massa sanguínea. Devem, no entanto, ser utilizados somente duas vezes por semana; isso para não aumentar a taxa de colesterol no sangue do homem. Já sabemos de vossa curiosidade sobre a Nossa menção aos ovos de granja. Explicamos-vos, servidores, esses ovos não são fecundados e, portanto, o sêmen da Vida não está presente. Dessa maneira, podeis fazer uso deles, se assim o desejardes ou se forem necessários para o tratamento de anemias, certos de que não estareis agredindo a Vida.

  Nunca vos senteis para meditar com o estômago cheio. Isso vos causaria perturbações digestivas, sonolência, além de um grande acúmulo de gases. É aconselhável que observeis um período de mais ou menos três horas entre a vossa alimentação e a prática da meditação.

beneficios-lima-da-persia
   
  Sugerimos-vos, como excelente vitamina para os nervos e para o espírito, ingerirdes em jejum o suco de lima adoçado com mel. Essa é uma bebida apreciada em Nossos Ashrans e lamaserias pelos Nossos discípulos. Deveis ingeri-la sempre em jejum para obterdes os resultados desta bebida mágica, de preferência uma ou duas horas antes de vossa primeira refeição matinal. Ela agirá como um ótimo adstringente estomacal, um relaxante para os vossos nervos, e como excelente vitamina para o vosso corpo espiritual.

  Vosso Instrutor,
                                                    Djwal Kuhl

Fonte: Exercícios Para Autolibertação - FEEU

Siga os Links:   - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (I)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (II) 
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (III) 
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz -  (IV
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (V)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (VI)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (VII)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (VIII)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (IX)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (X)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XI)                       
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XII)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XIII)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XIV)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XV)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XVI)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XVII)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XVIII)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XIX)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XX)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXI)

Rayom Ra
[Leia mais Rayom Ra (Rayom_Ra) on Scribd | Scribd em páginas on line ou em downloads completos ]

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXI)



                                           O VALOR DA POSTURA CORRETA
  Servidores,

  Vamos vos falar sobre a necessidade de colocardes a atenção na postura correta.

  O homem que por qualquer deficiência física ou por não ter recebido a orientação conveniente, assume uma postura inadequada, além de adquirir vários tipos de problemas para a sua coluna vertebral, caminha por vezes trôpego, parecendo carregar um pesado fardo nas costas. Essa emanação de vida irá certamente encontrar dificuldades em se submeter a uma quietação do corpo físico.

  Chamamos as vossas atenções para a necessidade de manterdes as vossas colunas vertebrais eretas, tanto ao caminhardes como ao sentardes para um descanso ou mesmo quando estiverdes trabalhando.

  Sabemos que muitos irão argumentar que manter constantemente essa postura é um trabalho cansativo e requer permanente vigilância. Estamos de acordo com a segunda observação. Quanto à primeira, sabemos que o trabalho de autocorreção depende da força de vontade de cada um. Se aceitardes essa disciplina como algo de relevante importância para a vossa saúde, a vossa vida profissional e social, e muito mais importante ainda nas vossas práticas devocionais, certamente não esmorecereis em corrigir-vos.

  No entanto, reconhecemos que, se desde a tenra idade, digo, quando a criança começa a adquirir a compreensão, fosse exercitada e incentivada para a importância que tem a postura correta, essa criança certamente se tornaria um adulto com menos problemas decorrentes da má postura. Esse treinamento, se feito na escola e com o respaldo dos pais nos lares, incentivaria e seria de grande valor para os nossos futuros adultos.

  Temos o exemplo dos atletas. Não percebeis em nenhum dos autênticos desportistas um caminhar curvado e com os ombros arqueados para frente. Portanto, servidores, esta deve ser também a vossa postura: cabeça erguida, coluna ereta, ombros retos fazendo um leve movimento para trás. Isto fortalecerá os músculos das vossas costas e pescoço.

  A estranheza para a razão de chamarmos as vossas atenções da necessidade de uma postura correta prende-se ao fato de não verdes um relacionamento estreito dessa com as práticas espirituais. No entanto, advertimos-vos que se tornam muito mais eficientes os exercícios meditativos naqueles homens que possuem hábitos saudáveis e uma postura correta, do que naqueles que trazem para o serviço de meditação o corpo mal habituado e sem a autodisciplina da postura.

  Deveis convir que não podeis ter dois comportamentos, dois hábitos antagônicos e usardes um para a vossa vida prática e outro para a vossa vida espiritual. Isso posso assegurar-vos, não funciona. Por mais bem intencionado que esteja o devoto, irá acabar por esmorecer em seus propósitos se as tendências e os apelos à vida mundana forem mais exacerbados.

  Todos vós sabeis do grande valor dos asanas ou posturas para a meditação. Mas, por vermos nos aspirantes ocidentais uma grande dificuldade em por em prática essas posturas, quer por nunca as terem exercitado ou por problemas físicos que lhes dificultem os movimentos, somos favoráveis e reconhecemos como postura conveniente, para a maioria dos discípulos ocidentais, a seguinte:

  - Usai uma cadeira de espaldar alto e vertical para o vosso acento de meditação. Cerrai os olhos. Mantende a vossa coluna vertebral ereta, a cabeça e o queixo ligeiramente erguidos.

  - Deveis manter os vossos braços apoiados sobre as coxas, com as palmas das mãos voltadas para cima, apoiadas bem junto ao ponto de junção da coxa com o ventre – a virilha.

  - Essa posição irá servir de entrave para um possível arqueamento do corpo para frente durante o vosso período de meditação. Procurai também manter o ventre ligeiramente comprimido e o tórax para fora.

  - Os pés, deveis mantê-los apoiados no chão e procurardes conservar os joelhos juntos ou o menos afastados possível.

  Esta é a postura conveniente para os ocidentais com problemas de saúde e más posturas. Porém, àqueles que praticam os milenares asanas, recomendamos a postura do lótus, por ser de maior eficácia e por manter o corpo em perfeito equilíbrio e com a energia fluindo livre e em perfeita harmonia por todo o corpo do devoto.

  A postura que recomendamos aos Nossos servidores lembra muito a dos antigos faraós e também facilita o circuito da energia pelo corpo, bem como a perfeita oxigenação do ar nos pulmões durante esses períodos de meditação.

  No entanto, se tiverdes ainda dificuldades para por em prática essa postura, uni-vos ao vosso Mestre Interno e encontrareis aquela que vos proporcionará maior conforto e, portanto, melhores condições para os vossos exercícios devocionais.

  Advertimos-vos, no entanto, que há necessidade de procurardes manter o corpo erguido e equilibrado, isso para que haja maior oxigenação de ar nos pulmões. Tal postura vos facilitará a acalmardes o vosso ritmo cardíaco e, como consequência desse trabalho, conseguireis acalmar a vossa mente, aquietando os turbulentos e incômodos pensamentos.

  Também chamamos a atenção de todos vós, servidores, para o seguinte fato: não deveis praticar meditação deitados ou recostados em poltronas macias e confortáveis. Elas vos sugestionarão o relaxamento e, infalivelmente, acabareis por cairdes nos braços de Morfeu. Portanto, rechaçai esses cômodos móveis para os vossos momentos de concentração e meditação.

  Como todos vós já deveis ter percebido, neste trabalho procuramos vos alertar para a postura correta durante o exercício de concentração, meditação e encontro com a Divindade, presente dentro de todos vós e em toda parte. Porém, cumpre-Nos ainda ressaltar o valor e os benefícios que advirão de uma atitude mental correta e positiva, para que as vossas existências tornem-se saudáveis, equilibradas e exitosas, o que vos propiciará tornar-vos realizados e atuantes através da Sabedoria Divina, quando Ela puder se manifestar através de vós.

  Vosso Instrutor,
                                                        Djwal Kuhl

Fonte: Exercícios Para Autolibertação - FEEU

Siga os Links:   - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (I)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (II) 
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (III) 
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz -  (IV
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (V)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (VI)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (VII)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (VIII)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (IX)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (X)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XI)                       
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XII)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XIII)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XIV)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XV)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XVI)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XVII)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XVIII) 
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XIX)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XX)


Rayom Ra
[Leia mais Rayom Ra (Rayom_Ra) on Scribd | Scribd em páginas on line ou em downloads completos ]

Instruções Excelsas aos Díscípulos da Luz - (XX)


                                                                 DISCIPLINA
  No homem oriental, vemos que a sadhana ou disciplina espiritual é observada com rigor e aderem a ela de forma obstinada todos aqueles praticantes sinceros que almejam obter a resposta sagrada da Divindade.

 Sabemos que a vida e as características dos homens ocidentais, por serem diferentes, não lhes outorgam, na maioria das vezes, o mesmo comportamento dos seus irmãos orientais. No entanto, discípulos servidores, isso não é desculpa para não fazerdes o esforço que vos proporcionará sensível melhora, tanto no campo material como no espiritual.

  Em primeiro lugar, deveis criar um local, por menor que seja, para as vossas práticas devocionais. Conforme já colocamos em outro trabalho, o local reservado para esses momentos fica impregnado da energia devocional do aspirante, e todas as vezes que vos recolherdes àquele lugar, ele vos sugestionará ou vos inspirará pensamentos devocionais e a ter meditação.

  Outra observância de grande valor é a de criardes um horário em que possais estar tranquilos para realizardes o vosso trabalho de procura e encontro com o Bem-Amado que vive dentro de vosso coração. Esta disciplina de se procurar manter, sempre que possível, um horário para as práticas devocionais, é de grande importância, por criar no discípulo o hábito de sempre naquele horário comungar com os pensamentos nobres que infalivelmente acabarão por levá-lo ao encontro do Mestre Interno, o Eu Sou, que é o verdadeiro Guru dentro de todos os homens.

  Procurai observar os vossos horários, sendo também importante que se faça essas disciplinas no momento em que o vosso lar esteja em paz e tranquilo, isso para que as vossas práticas e experiências não sofram a interferência e intromissão de terceiros.

  Não deveis impor os vossos novos hábitos a ninguém, já que, assim procedendo, ireis agredir a vontade de cada um. Portanto, procurai agir com discernimento, discrição e equilíbrio, principalmente muito equilíbrio.

  Se tiverdes em condição de por em prática em vossa vida, dois períodos de concentração e meditação ao dia, será muito eficiente, principalmente no início de vossa caminhada. Os horários de mais valia para essas práticas são: os das primeiras horas da manhã, por haver razoável silêncio e por estar o ar ainda pouco carregado com as impurezas da agitada vida moderna. E à noite, antes de vos recolherdes ao vosso leito. Esses exercícios, feitos naqueles exatos momentos, vos propiciarão calma e relaxamento e, portanto, concedendo-vos um sono repousante.

 Resumindo: pela manhã estareis acalmando a vossa mente e entregando ao Bem-Amado Pai o vosso dia que se inicia. Já à noite, estareis fazendo a entrega de vosso agitado dia de trabalho e acalmando o vosso coração e mente, preparando vosso corpo para um sono tranquilo e revigorante. Com o tempo, aprendereis a levar para a vossa rotina diária a Paz que advém desse trabalho e a tirar proveito desse novo estado na vossa atuação na vida prática. Ireis constatar, por vós mesmos, que terminareis o vosso dia de trabalho bem mais repousado do que em tempos passados.

  Qual o tempo ideal para uma boa meditação? Sabemos ser essa a grande dúvida dos Nossos servidores.

  - O tempo ideal é aquele em que conseguirdes, de maneira tranquila e repousada, calar os vossos pensamentos inquietos e manter a vossa concentração no objetivo maior de vossa existência, que é a atenção na Poderosa Presença Eu Sou em vós. De nada adianta ficardes sentados por longo tempo com a mente inquieta ou preocupada, lutando convosco mesmo para vencerdes o tempo e a indisciplina mental. Se usardes tal comportamento, saireis da meditação exaustos, enraivecidos e com terrível sentimento de fracasso. Dessa forma, acabareis por desistirdes desse empreendimento tão importante, talvez o maior que já tivestes oportunidade de por em prática em toda a vossa vida.

  É preciso usar de discriminação para se obter o êxito esperado. Tendes que ter em mente que estais agora atacando de frente os grandes déspotas de vossas vidas, que são o ego e o vosso ser elemental. Eles tudo farão para quebrar o vosso ânimo e tirar a vossa atenção dessas práticas. Portanto, sede inteligentes, inflexíveis em vossos propósitos de mudança interior e consequente auto-realização. Sem vos entregardes aos apelos dessa dupla, procurai agir evitando os exageros prejudiciais ao vosso equilíbrio emocional. Essa é uma das causas de preocupação e resistência dos que vos assistem, para aceitarem com tranquilidade o novo caminho escolhido por vós. Portanto, ficai vigilantes e atentos aos exageros.

  Tende em mente que quantidade não é qualidade, e, portanto, é preferível que comeceis a vossa sadhana ou disciplina espiritual com pequenos espaços de tempo de concentração e meditação. De cinco a dez minutos no princípio desse trabalho, achamos tempo suficiente para o principiante dessas técnicas.

  Chamamos a vossa atenção para a seguinte observação que entendemos ser de grande serventia para todos os iniciantes na arte da meditação: esse espaço de tempo que indicamos como ideal, deve ser observado somente enquanto a mente não entrar novamente em ebulição. Quando começardes a sentir os vossos corpos inquietos e as vossas mentes com os pensamentos correndo, é o sinal de que o vosso tempo de meditação terminou. Consideramos já como um grande avanço aquele discípulo iniciante que consegue manter a sua mente disciplinada e silenciosa por dois minutos que sejam.

  Logicamente, todos vós já compreendestes que estamos colocando aqui as orientações para aqueles discípulos iniciantes em meditação, visto que aqueles praticantes que adquiriram o equilíbrio da mente e do corpo, por exercerem essas disciplinas há mais tempo, sabem determinar o tempo que lhes seja propício, sem trazer mal-estar e sem furtar-lhes o tempo para o cumprimento de seus deveres na vida social e no campo profissional.

  O caminho espiritual não deve servir de desculpas para descuidos e desatenções com a vida material. Lembramos-vos, servidores, que estais buscando o tão ambicionado equilíbrio entre esses dois mundos.

  Vosso instrutor,
                                                    Djwal Kuhl


Fonte: Exercícios Para Autolibertação - FEEU

Siga os Links:   - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (I)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (II) 
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (III) 
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz -  (IV
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (V)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (VI)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (VII)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (VIII)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (IX)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (X)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XI)                       
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XII)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XIII)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XIV)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XV)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XVI)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XVII)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XVIII)                    
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XIX)
                               - Instruções Excelsas aos Discípulos da Luz - (XXI)


Rayom Ra
[Leia mais Rayom Ra (Rayom_Ra) on Scribd | Scribd em páginas on line ou em downloads completos ]